Mais agulhadas: a chama do ódio

Desde que eu fiz a minha chama do amor no braço direito em 2004,  já tinha a ideia de fazer a do ódio no esquerdo. Não tenho pressa com as modificações corporais e na verdade gosto desse processo que me acompanha vida afora. Por  isso algumas vontades demoram décadas para acontecer. Ontem, quase 10 anos … Continue lendo