Entrevista sobre suspensão corporal

Curso: Mestrado em Antropologia Social | Universidade: Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Qual significado do seu corpo pra você?
T. Angel: O meu corpo é um campo de batalha.

Como você começou a fazer suspensão corporal? Fale um pouco sobre sua primeira experiência. Você teve medo?
Eu comecei a fazer suspensão corporal depois de experimentar diversos procedimentos e usos do meu corpo para fins estéticos, artísticos e místicos. Minha primeira experiência aconteceu em 2005 durante uma jornada privada. Eu tive muito medo e achei que meu corpo fosse rasgar ao meio.

Como você vê a suspensão corporal?
Como uma possibilidade de uso do corpo.

Quais são as suas motivações para se suspender?
Hoje eu me suspendo por questões artísticas.

O que uma suspensão transmite pra você?
O dia que eu entender isso, paro de me suspender.

Quais são as sensações antes, durante e depois da sessão?
As sensações são:
Antes: de ansiedade e medo.
Durante: libertação completa.
Depois: relaxamento e gozo.

Como você se prepara para uma sessão de suspensão?
Cuidar da alimentação, descanso e funcionalidade do meu corpo são as formas que encontrei de me preparar. Uma hora antes – quando possível -, costumo me concentrar, alongar e relaxar.

Como é sua relação com a dor?
A minha relação com a dor é de aprendizagem. Eu entendo que ela faz parte de alguns processos da minha vida e eu a respeito. A gente não cresce somente na luz.

Como você se relaciona com suas marcas?
Eu gosto de olhar para o meu corpo e conseguir visualiza marcas de experiências que são sempre marcantes, sempre intensas e especiais. Gosto de muitas vezes encontrar aquela marca quase apagada, mas que carrega uma história bonita de se contar.

Pra você é uma modificação corporal? Pode ser uma modificação mental também?
A suspensão corporal não é uma modificação corporal para mim. Apenas para responder, a mente não está fora do corpo, tão logo, toda modificação corporal é uma modificação mental e ao contrário também.

Pra você é uma experiência espiritual?
A suspensão corporal pode ser uma experiência espiritual. Historicamente falando assim o é.

Para você a suspensão corporal pode ser um ritual? Por quê?
Para mim a suspensão corporal pode ser um ritual. Há inúmeros registros nesse sentido. Particularmente já realizei algumas dentro desse contexto.

Você acredita que a suspensão atual tem ainda alguma semelhança com os rituais primitivos que deram origem à suspensão corporal?
Embora o contexto seja outro, sim, acredito que é possível encontrar semelhanças entre a suspensão corporal antiga e a atual. São iguais? Não, principalmente a que se realiza no ocidente. Embora tenhamos poucos registros, estudos e pesquisas nesse campo, as semelhanças são percebidas.

Quantas vezes você fez suspensão? Pratica freqüentemente?
Não sei exatamente, mas mais de 30. Prático anualmente por conta do meu trabalho enquanto artista.

Como você se sente após se suspender?
Como eu disse na pergunta anterior, a sensação é de relaxamento e gozo.

Existe alguma das posições que você não faria?
Diversas posições eu não faria, por variados motivos ou pelo completo desinteresse. Existem tantas possibilidades hoje que nem é possível contar.

Qual é a relação com as outras pessoas presentes no local durante uma sessão de suspensão?
Existe uma energia pulsante no espaço. Sinto como se todo mundo participasse do processo e da intensidade da ação.

Uma suspensão pode ser uma performance? Um show? Suspensão pode ser arte?
Para mim tem sido há uma década. Pensando a suspensão corporal no ocidente após a década de 70 do século XX, também tem sido. A obra de Stelarc está aí para não me deixar mentir.

A suspensão corporal pra você pode estar relacionada com a sexualidade e o erotismo?
Pode estar. A suspensão corporal pode ser muitas coisas. Espero um dia ter uma experiência nesse sentido. Tenho interesse.

Você acredita que existe tabu com a prática de suspensão?
Completamente. Recentemente fiz uma pesquisa para um censo sobre a suspensão corporal no Brasil e percebi que não é um pensamento só meu. Existe tabu, existe preconceito, existe gente com sérios problemas com a família por realizar a suspensão corporal. E tudo isso gira em torno da posse do corpo do outro, sobre o controle, sobre aquelas pequenas violências que regem nossas relações.

Você está satisfeito com as suspensões que fez? Pretende continuar a fazer?
Estou feliz com o que fiz durante esses mais de dez anos, mas é um campo ainda há se investigar mais. Uma investigação que vai se dar na academia e no meu próprio corpo.

Há algo mais que queira falar?
Assiste Sauntering no www.youtube.com/frrrkguys … Falamos muito sobre suspensão corporal e suas variadas possibilidades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: