Retratos da performance no Brasil e convocatória III Circuito BodeArte

Não sei. Sinto que esse retrato que vou compartilhar abaixo, que trata a situação da performance em Natal, não é tão regional assim. Não sou profundo conhecedor dos editais, das artes e afins, mas do pouco que sei… É, pois é…
Quero dizer que me identifico, me solidarizo e apoio esse esforço constante da galera que trabalha (independente do campo) e faz acontecer. Sem apoio do governo ou institucionais.
Tudo isso me fez lembrar e pensar muito sobre o texto da querida Lud, falando do Festival de Apartamento. A qual separo a seguinte introdução:

“Por que, afinal, ocupar-se de um evento dedicado a uma linguagem algo flutuante e que deixa a formulação “retorno financeiro” com ares de piada? Em outras palavras, para que fazer Festivais de Apartamento e, mais ainda, para que fazê-los, deliberadamente, sem fomento de quaisquer instituições?

Porque é possível.”

Faço coro com a Lud, porque é possível.
Leiam abaixo o que se passa e participem, divulguem a iniciativa.
Somos todos Circuito BodeArte!

________________________________

CIRCUITO REGIONAL DE PERFORMANCE BODEARTE “CORPOS AUSENTES”

Regulamento e Ficha de Inscrição aqui:
http://circuitobodearte.blogspot.com.br/2013/09/isso-mesmo-exatamente-erroneamente-esta.html

As inscrições já estão abertas e vão até o dia 25 de outubro de 2013! Inscreva-se e compartilhe, vamos fortalecer nossa rede! Performance Neles!

CONVOCATÓRIA

No ano de 2012 após a segunda edição nacional do Circuito BodeArte, nós, do Coletivo ES3, nos encontrávamos muito alegres pelo excelente desenvolvimento e cumprimento de tudo aquilo que prometera o evento, a rede, o contato na ocasião. O Circuito havia ultrapassado o número de mais de cem participantes, somando as duas edições, muitos diálogos foram traçados e parcerias criadas entre performers. Livros vendidos, discussões realizadas, fórum discutido, palestras realizadas, performances durante três turnos do dia, por seis dias, na cidade do Natal.

Tudo isso, desde 2011, foi realizado com investimentos pessoais e através de algumas parcerias feitas para que o evento acontecesse. Ao final do segundo BodeArte iniciávamos o pagamento de nossas dívidas trazidas pelo Circuito, os membros do coletivo somavam dívidas que chegavam à casa do milhar com empréstimos bancários e isso seria pago em extensas parcelas até o ano de 2013.

Todavia, o acontecido não nos deixava desanimados, embora endividados. Diante da dimensão que o Circuito BodeArte tomara em dois anos, e ao crescimento intenso aguardado para o ano de 2013, investimos uma grande carga de tempo, e com esforço e colaboração nosso e de vários parceiros (queridos bodes), construímos um belo projeto a ser inscrito na Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura, criada pelo governo há 13 anos para projetos culturais do Rio Grande do Norte.

O projeto foi o primeiro a ser aprovado pela lei no campo da performance arte no estado, e recebeu liberação dos avaliadores para captar mais de trezentos mil reais voltados para investimento em sua terceira edição, que além de performances, palestras, oficinas, fórum, livros, catálogo, box de DVDs, convidado internacional, organizaria o primeiro congresso voltado inteiramente voltado à pesquisa em performance arte no Rio Grande do Norte.

Sete meses se seguiram, dois produtores formados e conhecidos na cidade apresentaram o projeto a diversas empresas, nós organizamos diversos materiais, demonstrativos, projetos de venda, plano de mídia, apresentações de slides sobre performance arte, gráficos e tabelas de público e participação nas edições anteriores do BodeArte. Um “não” após o outro as portas foram se fechando, alguns mais receptivos a ouvir sobre o projeto, outros nem dispostos a ver o que tinha além da sua capa.

Esse bode resistente, re-insistente e re-existente, que nós do ES3 havíamos nutrido junto com tantos performer pelo Brasil era cercado pela precariedade do seu cenário em escala cada vez maior. Ao recebermos a resposta da última empresa com capacidade de financiar o projeto, responsável por 60% dos patrocínios financeiros via lei de incentivo no estado, emitimos uma nota via rede social para todos os que acompanharam essa batalha.

Diante do interesse corrente em uma nova edição dos performers que já haviam participado, e de dezenas de novos coletivos de performance e performers individuais que nos questionavam sobre abertura de inscrições para o BodeArte em 2013, assumimos que não teríamos condições financeiras de realizar o Circuito esse ano. As condições financeiras e mesmo o investimento de tempo que toma produzir o BodeArte não nos eram possíveis.

Outro projeto foi ainda escrito e enviado à Funarte, no edital de 2013 da Rede Nacional Funarte de Artes Visuais. A mesma negativa se seguiu, e o Circuito BodeArte novamente seguia sua retirância em busca da chuva de outra possibilidade de se realizar.Hoje, falamos do alto do mês de setembro de 2013, num mês e ano em que festivais de performance reconhecidos como o Perpendicular, não conseguiram financiamento para sua realização, num ano em que projetos de performance foram recusados em grande escala na Rede Nacional Funarte de Artes Visuais para 2014, como o Festival Performatus. No mesmo ano em que se lança o edital cultural da copa com investimento de 18,8 milhões de reais, comemos barro na performance para matar a fome e a sede.

Decidimos então que esse bode não sumiria, não iria dormir para passar à fome, deveríamos realizá-lo, levantar seu grito, chamar seu fato, e fazê-lo ecoar por todo o Brasil novamente. Decidimos investir nosso décimo terceiro salário como professores no município de Natal, para mostrar para aqueles que acham que a performance arte está bem servida, que estamos aqui, em nosso deserto, em nossa cuia seca, ainda permanecemos.

Manifesto, manifestado, vândalo vandalizado, sem violência, com violência, e violentado, decidimos abrir inscrições para o Circuito BodeArte no ano de 2013, não para receber performances e performers em Natal, e criar a rede, o circuito desse encontro. Abrimos inscrições para receber em Natal o encontro da ausência de todas essas performances pelo Brasil.

O III Circuito Regional de Performance BodeArte, com o subtítulo de “Corpo Ausente”, receberá em 2013 apenas inscrições de registros fotográficos de performances. Uma foto por performer ou coletivo, para lotar uma sala de exposição de ausências desses bodes da performance pelo Brasil.

Explicaremo-nos melhor no regulamento no link abaixo, mas em poucas linhas a proposta é essa. Reunir nossa ausência nos investimentos, nas perspectivas de financiamento, nas câmaras setoriais de setores reconhecidos pelo Ministério da Cultura, nos diversos recantos dos quais foram ausentadas as performances, os performers e a performance arte, e criar a partir dela um ponto de visibilidade, um pico de ausências como ação de performance.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: