Trinta e um

Não sei quando foi exatamente que perdi o entusiasmo em celebrar festivamente o meu aniversário. Confesso que em alguns – poucos – momentos até surgem umas pontas de ânimo, penso em fazer alguma coisa pequena, mas assim como os pensamentos vêm, eles vão…
Esse ano até falar sobre isso me soa meio enfadonho. É como se não fosse o timing do aniversário, não estou na energia correta. Lembro que ano passado eu também não queria celebrar nada, mas ao menos tinha a vontade de escrever sobre o dia. Dessa vez não, há algum tipo de delay.
Comentei com minha mãe que queria ir passar o dia em alguma cachoeira. Na verdade a imagem da queda d’água tem sido muito corrente em meus desejos particulares. Simbolicamente diz muita coisa, que não vem ao caso agora.
E essa vontade de ir, me ausentar, me retirar, na verdade está muito vinculada com a necessidade de fuga ou recolhimento.  Penso comigo… Talvez essa seja a nova forma que encontrei de celebrar o meu nascimento: sozinho, quieto…
Sei que para quem ler, pode soar meio melancólico ou depressivo, mas não. Estou feliz!
Pude viver intensamente meus 30 anos e foi muito especial, renovador… Pude fazer coisas que eu amo, estar com pessoas que se tornam cada vez mais especiais e tudo isso em paz…
E mesmo agora – nesse exato momento em que escrevo – não me sinto deprimido, nem se quer aborrecido com absolutamente nada… Talvez com esse café gelado, mentira!

Dia 14 de janeiro de 2013, vai ser um dia normal. Vou acordar com o Daemon em cima da minha cabeça e vou ficar fazendo algum som estranho, isso até a gente levantar do colchão. Como é meu aniversário vou receber parabéns da minha mãe e da Vó Geralda e vou ficar sem graça, como de costume. Vou olhar as notícias enquanto tomo um café. Depois vou treinar um pouco, é dia de trabalhar as pernas. Tenho que resolver umas pendências na rua, provavelmente eu faça isso. Devo entrar no facebook e postar alguma bobagem nesse meio tempo. Devo comer alguma coisa gostosa (e com muitas calorias) no fim do dia. E é isso!

A cachoeira vai ficar pra depois. Vou curtir o tal do dia 14 da maneira mais simples que eu puder, quem eu amo vai estar pulsando no meu peito e pra mim – hoje – não há maneira melhor de adentrar em um novo ciclo: com amor, simplicidade e paz.

Que venham os trinta e um!

Anúncios
Comments
One Response to “Trinta e um”
  1. dessaserena disse:

    Te deixei uma mp no facebook de aniversário, leia pu favô! Meu irmão de água, meu sereio assim como eu quer sempre passar bons momentos perto de água, né? Ano passado fiz questão de ir para a praia no meu aniversário, mas esse ano não sei onde passarei… Independente do lugar, quero que seja feliz, como sempre sou. ❤

    Meu amô, FELICIDADES! Leia a MP com meu filme de presente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: