Body piercing e microdermais novos

Não me recordo quando foi a última vez que fiz um body piercing. E é meio estranho dizer isso, meu corpo nos últimos anos foi perfurado tanto e tanto… Eis que resolvi fazer o medusa piercing com o meu amigo Enzo Sato no Iritsu Tattoo Shop. Aproveitei também pra fazer alguns microdermais que eu queria. Na verdade são duas coisas que eu queria há um tempo. E apenas pela estética da coisa, sem envolver em nenhum trabalho de arte ou discussão mais aprofundada. Isso foi estranho e novo até… Nos últimos anos mergulhei profundamente na body art e apesar de alguns trabalhos envolverem procedimentos de body mods, acabei esquecendo mesmo como era fazer uma mod pela mod em si. Tinha esquecido também como era aquela sensação de se sentir bonito após um adorno novo. A vaidade tem passado longe de mim nos últimos anos também, mas isso é outra história. Ontem me peguei olhando no espelho, admirando narcisisticamente meu medusa e pensando: que bonito!

O Enzo é meu amigo pessoal, mas consigo separar a nossa relação de amizade do profissional que ele é. Algumas coisas do que eu vou escrever sobre ele especificamente, já disse pessoalmente em diversas oportunidades, então su-a-ve. rs
Bem, como eu disse antes, havia um tempo que não fazia piercings, mas como vivo no meio de vários profissionais, então acabo aprendendo um bocado sobre a área, só de ouvir, observar, ler e etc.
As pessoas não imaginam como alguns body piercers profissionais se preocupam com a qualidade do serviço prestado  e no mais vasto sentido da palavra. Sortudo eu que vi isso no DF com o Eduardo Bez, no PR com o Compadrito Anibal e em SP começando com o Andre Meyer lá nos anos 90 e passando posteriormente pelo Pew, Bianca Gattoni, Ronaldo Sampaio, Filipe, Espindola (na época Campinas), Cássia Demarchi (Piracicaba) e atualmente o Enzo.
Apesar de estar tratando aqui do body piercing, acho importante criar um adendo e mencionar que a mesma preocupação e igual cuidado eu vi com os profissionais que realizam outras body modifications (e que são exímios body piercers), a exemplo de Andre Fernandes, Tárcio Batraquio, Dark Freak, Freak Boy, Gordex, Luciano Iritsu, João Caldara e mais recentemente o Alexandre Anami. Cito esses, por serem pessoas que eu vi trabalhando e muito felizmente carrego em meu corpo trabalho de alguns. Obviamente que deve ter tantos outros ótimos profissionais por esse Brasil gigante, mas apenas não pude cruzar com eles ainda.
Falo isso tudo, pois percebo que há um tratamento de ligeiro pouco caso com o body piercing atualmente, uma vez que ele foi super popularizado. Pensando dentro da lógica do consumo de massa, o piercing sofreu uma queda absurda de valores, monetário e qualitativo. Risco para o “profissional” e risco para os clientes que entram nesse esquema.
Sei que muita gente não está preocupada em ser um bom profissional e investir na profissão, tem sujeito que quer fazer o dinheirinho da semana e pronto. Isso existe em toda e qualquer área e desde os tempos mais remotos, são os oportunistas de plantão e que infelizmente encontram pessoas que topam qualquer coisa por um preço mais baixo.

Mas falando daqueles que se empenham, volto a falar do tal Enzo, o profissional que fez as minhas últimas modificações.
Tenho acompanhado o trabalho dele virtualmente. Vi inúmeros trabalhos que foram feitos em pessoas comuns a nós. Sei o quanto ele tem estudado e colocado dinheiro do próprio bolso para aprimorar o máximo possível a sua profissão. Sei o quanto ele busca trazer e criar peças novas (alargadores, piercings, microdermais) para sair do lugar comum. Tudo isso é um bocado motivador, mesmo eu que não sou piercer me sinto inspirado.
Ontem fui fazer os meus piercings e microdermais e fiquei observando encantado todo o cuidado do jovem profissional. Já fiz suturas em hospitais que não tiveram tanto cuidado quanto ele.
Foi impossível não lembrar da primeira vez que vi o Meyer pefurando a minha amiga. Do investimento do Pew em promover da melhor maneira possível o body piercing tradicional. São duas pessoas que eu sempre tive (e tenho) muita admiração. Lembrei também das minhas longas jornadas de perfurações com a dentista Dra. Mary Matsuda, que igualmente me mostrou essa caminho maravilhoso de profissionalismo, em que toda cautela ainda é pouco.
Talvez algumas pessoas podem pensar que eu estou puxando sardinha porque ele é meu amigo, mas não. Eu estou puxando sardinha porque ele tem se empenhado em ser (muito) bom naquilo que faz. Quem me conhece sabe, e se ele não fosse o bom profissional que eu vejo, eu não entregaria meu corpo para realização de procedimentos e como amigo que somos, teria total liberdade em indicar pra ele estudar e se aperfeiçoar mais. O aprendizado é um processo sem fim e muitas vezes receber um “você precisar melhorar” é o vento que te impulsiona a voar.
Estou muito feliz com meus adornos novos e mais ainda por tê-los feito com um amigo e profissional que eu admiro tanto. Gratidão Sr. Sato.

Enzo Sato – Body Piercer

– Body Piercing;
– Genital Piercing;

– Surface;
– Microdermal;
– Scalpelling;

Para mais informações me procure:

IRITSU TATTOO SHOP
RUA CARDEAL ARCOVERDE, 520
PINHEIROS – SÃO PAULO
(11) 2305 6792
e-mail /msn: e.volua@hotmail.com

 

 

 

Anúncios
Comments
One Response to “Body piercing e microdermais novos”
  1. enzo sato disse:

    Meu …chorei aqui. Real.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: